MIKE HAWTHORN


 

O inglês Mike Hawthorn talvez seja um dos campeões mais esquecidos na história da Ferrai. Curiosamente, dos sete anos da curta carreira, interrompida pela morte em acidente rodoviário na Inglaterra, em janeiro de 1959, cinco deles foram dedicados a pilotar os carros da escuderia do cavalinho rampante.

 

Hawthorn, primeiro britânico a se tornar campeão mundial de Fórmula 1, não era um piloto rápido. Dos 45 GPs que disputou na carreira, venceu três e largou quatro vezes na pole position. Fez ainda seis melhores voltas.



 

O que tinha de sobra era constância e estratégia de corrida. Tanto que cravou nove segundos lugares, seis terceiros, sete quartos e dois quintos.

 

Pela Ferrari, considerando-se também as vezes em que defendeu a escuderia em outras provas, foram 71 corridas, 14 vitórias, 17 segundos e nove terceiros lugares.

 

Hawthorn foi também o responsável pelo desenvolvimento do modelo Dino 246, um carro derivado de um modelo de Fórmula 2 de 1,5 litro que, aos poucos, foi evoluindo para as necessidades da Fórmula 1.

 

Foi com esse modelo, que levou o nome do filho do comendador, que ele conquistou o título mundial de 1958, numa temporada disputada palmo a palmo com outro inglês, Stirling Moss, da Vanwall, com uma vitória no GP da França, cinco segundo lugares, um terceiro e um quinto.

 

John Michael Hawthorn, nasceu em 10/04/1929, Mexborough, no Reino Unido e faleceu em 22/01/1959, vítima de um acidente rodoviário na A3 Road, no Reino Unido.

 

Foto: The Cahier Archive





Luiz Máximo Morelo, É  paulista, 65 anos, começou  no rádio em 1968. Em 1976 foi para a TV Record, depois Rede Bandeirantes, Globo, SBT e por 20 anos trabalhou  na TV Cultura. Sempre acompanhou o automobilismo, nos anos de 1960 e começo dos anos 1970 pelos jornais e também pelas Revistas Quatro Rodas e Auto Esporte.

Categoria:BLOG DO LUIZ MÁXIMO -AUTOMOBILISMO